Skip to content

10 dicas da ciência para criar filhos felizes

24/01/2015

29 fevereiro 2012 às 12:00

Criança feliz tem a ver com sustentabilidade? Tem sim! Uma pesquisa divulgada pelo site LiveScience comprovou que atitudes simples, como brincar com os pais e participar de atos solidários, fazem uma grande diferença na vida dos pequenos. As atitudes saudáveis também poupam recursos do planeta, pois evitam o consumismo e formam indivíduos mais críticos e seguros de si, capazes de fazer melhores escolhas, cuidar bem de si e do ambiente à sua volta.

Confira as dicas, a seguir:

  1. 1.      Brinque muito, desde cedo!

Brincar, desde os primeiros anos, ajuda a criança a se relacionar com outros e com a própria família. As brincadeiras promovem a criatividade da criança, facilitam sua desinibição, tornando mais fácil para ela fazer amigos e ainda a ajudam a lidar com o stress. Também criam laços afetivos mais fortes e tornam a criança mais feliz com o que tem.

  1. 2.      Seja positivo

Criança imita o que presencia. Se for exposta ao negativismo muitas vezes, repete este comportamento. A agressividade infantil também está diretamente relacionada ao clima emocional que a criança encontra em casa. Filhos que tiveram histórico de agressividade até os 5 anos de idade tendem a carregar essa característica adiante na vida. Então, cuidado com o ciclo: pais bravos, criança irritada; pais mais bravos ainda, criança mais birrenta ainda. Os problemas só crescem desta forma. Mude o clima. Procure aspectos positivos para destacar e utilize de gentileza, dentro e fora de casa. A criança assimilará este comportamento naturalmente.

  1. 3.      Alimente a autocompaixão

Pesquisas mostram que reconhecer e perdoar seus erros é uma habilidade muito importante. Ser intolerante consigo próprio, torna a pessoa muito exigente com a vida e com os outros também. Autocompaixão acontece junto com a capacidade de enxergar e se afastar dos sentimentos que levaram a erros ou más atitudes, em vez de se deixar levar por eles ou apenas reprimi-los (até chegarem ao ponto de explosão). Esta habilidade amplia a capacidade de enfrentar desafios, facilita ter empatia pelo sofrimento alheio e gera gentileza, tanto consigo como com os outros, além de aumentar o compromisso em solucionar problemas.

  1. 4.      Ofereça liberdade

Impedir que os filhos vivenciem determinadas situações não apenas atrasa a experiência das crianças, mas também origina problemas como ansiedade, individualismo e um fechamento natural a novas experiências. Se você é o tipo de pai ou mãe que questiona os professores a cada nota ruim do filho na escola, é hora de repensar alguns conceitos.

  1. 5.      Nutra seu casamento

Se você vive com um companheiro ou companheira, não descuide da relação só porque há um bebê na casa. Estudos mostram que distúrbios no sono acontecem com frequência em crianças cujos responsáveis passam por um divórcio. Talvez o stress da separação se transmita à criança.

  1. 6.      Vigie sua saúde mental

Se você suspeitar que está deprimida ou deprimido, peça ajuda! Uma criança traz solicitações constantes e pesquisas mostram que a depressão inibe as respostas até mesmo aos choros de um bebê.

  1. 7.      Mães: tenham uma boa relação com seus filhos homens

Uma relação próxima e calorosa entre mãe e filho contribui para que o garoto cresça com equilíbrio e estabeleça uma relação sadia com o sexo feminino. Inclusive na hora de escolher uma namorada.

  1. 8.      Permita a argumentação

Filhos que têm coragem e espaço para contra-argumentar quando discordam dos pais, também conseguem fazê-lo com amigos e outras pessoas que tentem influenciá-los. É preciso praticar a defesa de suas visões e opiniões.

  1. 9.      Não force a perfeição

Ninguém é perfeito. Então, não se torture para ser infalível. Curta o papel de cuidar e criar seus filhos, sabendo que falhas ocorrerão. Da mesma forma, não torture seus filhos para alcançar metas impossíveis.

  1. 10.  Conheça seus filhos

Por fim, observe e respeite a personalidade de cada filho. Não há uma fórmula que funcione sempre e com todos. Alguns podem precisar de mais acompanhamento e proteção, enquanto outros podem se ressentir de muitos cuidados, tomando-os como controle. A chave, diz a pesquisadora-líder Liliana Lengua, da Universidade de Washington, é um conhecimento profundo. Quanto mais tempo passamos com os filhos, mais aprendemos com eles e a respeito deles.

Com colaboração da Hypescience.

Anúncios

From → Uncategorized

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: